Travessia dos Oceanos – Emissão de 26 de Junho com Filipe Cabeçadas

travessia dos oceanos - emissão de 26 de junho com filipe cabeçadas

A próxima emissão da Travessia dos Oceanos, a decorrer no dia 26 de Junho, contará com a presença do músico algarvio Filipe Cabeçadas para uma entrevista muito especial. O jovem artista irá partilhar connosco um pouco da sua vida e dos seus projectos futuros. Teremos ainda o concerto acústico de Gilliard. 

Destaque Entrevista

Filipe Cabeçadas

filipe cabeçadas

Filipe Cabeçadas é um artista português, algarvio. Além de músico, é também compositor, produtor e multi-instrumentista. Já participou de várias bandas, tendo-se iniciado em 1997 no mundo da música.

Ele estudou no Conservatório de Música, altura em que formou os Mindlock. É aqui que surgem as suas músicas de revolta interior, assim como o seu marcado inconformismo.

Juntou-se também a outras bandas de rock, como foi o caso de Nome, Melomeno-Rítmica e oLUDO.

Já gravou discos, fez covers, tocou em bares, e fez trabalhos de freelancer com outros artistas.

Agora grava o seu primeiro CD a solo, o qual está a ser produzido com o famoso Diogo Piçarra, e terá o nome de XX.I e estará editado ainda este ano.

Concerto Acústico

Gilliard

gilliard

Gilliard Cordeiro Marinho, conhecido vulgarmente pelo seu primeiro nome, é um cantor brasileiro nascido em Natal, na década de 50. O cantor tem uma trajectória musical invejável, tendo alcançado o reconhecimento em países europeus e africanos.

A sua carreira começa na década de 70, e desde sempre ficou marcada pelos seus temas românticos.

Veio de uma família muito humilde. A sua mãe e tias eram professoras, e por isso sempre quiseram oferecer a Gilliard e seus irmãos uma boa educação, apesar de terem de começar a trabalhar muito cedo.

O cantor começou por trabalhar numa relojoaria. Trabalhava de manhã e estudava à tarde. Mas mesmo assim não deixava a sua carreira musical de lado, cantando à noite. Com 8 anos ganhou o primeiro concurso, tendo sido coroado com o título de a voz mais bela do Nordeste.

As primeiras músicas do cantor demonstravam bem as suas influências, especialmente de Vicente Celestino, Luiz Gonzaga, Dolores Duran, Luiz Vieira e Lupicínio Rodrigues.

Com 13 anos viajou para o Rio de Janeiro. Como qualquer família da classe baixa no Brasil, não havia muito a oferecer, e o cantor não queria desistir do seu sonho e ajudar também a família que passava por dificuldades.

No Rio de Janeiro a perspectiva de uma carreira musical era bem maior. Começou a cantar em bares e restaurantes mas acabou por voltar para Natal, desanimado com a carreira, para participar na campanha política do estado.

Assim que a campanha terminou, Gilliard estava novamente motivado a conquistar o seu “lugar ao sol”, mas desta vez viajou para São Paulo, já com um repertório de músicas suas. Conseguiu mostrar este trabalho para a gravadora RGE que lançou o seu primeiro LP em 1979. Este LP vendeu mais de 300 mil cópias, e desde então que a sua carreira foi crescendo.

Ao longo de toda a carreira, Gilliard conseguiu 12 discos de ouro, 10 discos de platina duplo, e 3 discos de diamante.

Álbuns: Um convite à minha voz / Gilliard sempre / Gilliard ao vivo / Como eu gosto / Gilliard / Sentimentos / Cidade grande / Deixa-me sonhar / Gilliard especial / Pouco a Pouco / Pensamento / Queria estar perto de você / entre outros

Músicas: Não diga nada / Nosso juramento / Aquela nuvem / Pouco a pouco / Festa dos insetos / Eu amo amar você / Hino ao amor / Do jeito que você deixou / Segredos / Tira a solidão de mim / Esse alguém sou eu / entre muitas outras